MENU

Pra quem não sabe, eu e a Camila nos casamos no comecinho de novembro de 2017. Foi a concretização de um sonho e tudo saiu do jeitinho que a gente queria! Em breve daremos mais dicas sobre como foi nossa experiência do outro lado das lentes! A outra parte do sonho foi a nossa lua-de-mel! Enfim fomos para Paris, algo que nós sempre (principalmente a Camila!) tivemos muita vontade.

No post de hoje, vamos contar um pouquinho sobre como foi nossa viagem e quais as dicas podemos dar. Confira!

Quanto tempo ficar em Paris

Uma das primeiras coisas que a gente pensa na hora de programar uma viagem de lua-de-mel é o que vamos fazer nela. Muitos casais preferem ir para um destino tropical, ficar em um resort, descansando.

paisagem da vista de paris de cima da torre eiffel

No nosso caso, a coisa era um pouco diferente. Nem eu e nem a Camila somos muito fãs do calor. E aí a nossa lua-de-mel teria que ser para o hemisfério norte, onde pegaríamos o finalzinho do outono.

E é nessa hora que bate a dúvida. Vamos pra Paris ficar quanto tempo? Vamos para outras cidades? Como era a primeira viagem da Camila pra Europa e a nossa ideia era conhecer o máximo possível de Paris, decidimos ficar lá por 15 dias.

Como se hospedar em Paris

Depois que decidimos passar duas semanas em Paris, chegava o desafio da hospedagem. Se você nunca pesquisou sobre, é bom saber que Paris é uma cidade MUITO cara. Principalmente a alimentação, mas a hospedagem também não fica para trás: os hotéis cobram preços muito acima das outras capitais europeias.

fotografia de viagem da torre eiffel durante o dia

Pra driblar esse tipo de dificuldade (afinal de contas todo mundo sabe que casar não é barato, ainda mais viajando depois!) a gente optou por uma alternativa bem interessante: o Airbnb. Como nossa ideia era ficar mais tempo na cidade, pensamos em colocar em prática o slogan deles – viver Paris!

Assim, escolhemos um “apartamento” próximo de Montmartre. Entre aspas mesmo, porque ele era bem pequeno e servia mesmo para dormir e comer durante a noite. Dessa forma, economizamos na hospedagem pagando menos da metade em comparação com um hotel.

Comendo em Paris

Não tem como ir a Paris e não comer bem. A cidade mais turística do mundo também é um dos principais destinos gastronômicos. Porém é tudo muito caro, o que demanda muita pesquisa e paciência para achar um restaurante mais em conta — e eles existem!

Como nós acabamos alugando um apartamento pelo Airbnb, nossa primeira prioridade era fazer compras. Nas redondezas de Montmartre é possível achar supermercados, mercadinhos de rua, açougues, peixarias (nós ficamos na Rue des Poissoniers, ou Rua das Peixarias!) e padarias.

Assim, a primeira ida no Carrefour do bairro já abasteceu o suficiente pra uma semana comendo bem e gastando menos de €50. Daí em diante nos planejamos para comer fora somente no almoço — além das crepes de Nutella durante os passeios, claro!

Restaurantes de Paris

Perto da Praça do Trocadèro existe um café bem famoso, chamado Café Kléber. Ele foi nossa escolha de “jantar ostentação”, já que jantar fora em um restaurante bacaninha não sai por menos de €70. Não tivemos coragem de experimentar o Steak Tartare (carne vermelha crua, minha gente!), acabamos ficando na entrada do Foie Gras (muito bom, apesar da consistência estranha) e no Steak Bavette como prato principal. Tudo isso acompanhado de uma boa taça Leffe (sim, somos cervejeiros!).

fotografia em preto e branco das ruas de paris

De resto, Paris possui ótimos pub’s, restaurantes mais simples e casas de hambúrguer. Isso sem falar nos cafés, que merecem até um post à parte! Apenas uma dica: quem vai em Paris tem que ir no Angelina, um dos cafés mais charmosos da cidade e, sem dúvidas, um dos mais famosos.

O que fazer em Paris por 15 dias

Como nós escolhemos ficar em Paris por um tempo considerável, nos demos o luxo de fazer os passeios com calma. Uma das primeiras coisas foi nos organizarmos para criar o cartão Navigo Découverte — essencial se você quer aproveitar o transporte público pagando proporcionalmente bem menos.

Museus e atrações

Outra boa dica é separar 4 dias e adquirir o Museum Pass, que te permite conhecer mais de cinquenta museus sem precisar pagar a mais pelos ingressos, além de aproveitar as vantagens de não pegar as filas normais. Louvre, Torre Eiffel, Versalhes, Chantilly, Notre Dame, Arco do Triunfo, Conciergiere… a lista é enorme e inclui todas as grandes atrações da cidade.

vista de paris de cima da catedral de notre dame

Disney Paris

Todas essas atrações são obrigatórias para quem vai em Paris pela primeira vez. Não tem como não as visitar e cada uma delas vale a pena. Outro lugar que fomos e recomendamos é a Disney Paris. Fica um pouquinho longe, mas tem metrô (coberto pelo Navigo) que chega em cerca de 1 hora de viagem. Quem acha que a Disney Europeia é apenas um “parquinho” perto da versão americana, está enganado! O parque não deixa nada a desejar, além de contar com atrações exclusivas e ambientações feitas até mesmo para a temporada de inverno (nós pegamos o desfile de Natal e é mágico!).

Todas essas dicas você pode já ter visto em outros blogs ou até mesmo ter anotado no seu roteiro de viagem. Tudo bem, Paris é uma cidade voltada para turistas e muita das coisas já são bem conhecidas. Porém, se tem algo que a gente pode dizer de diferente é: ande nas ruas, sem destino definido. Depois disso você pode vir agradecer a gente aqui! É uma das coisas mais gostosas de se fazer para conhecer, de fato, Paris.

casal em versailles, paris.

Caminhar pelas ruas de Montmartre, conhecer as construções diferentes do Marais, visitar os parques e praças… vale muito a pena! E te dará a noção exata do que Paris tem a oferecer!

Abaixo, você pode conferir algumas das fotos que fizemos lá em Paris. Se tiver alguma dúvida ou precisar de alguma dica sobre a viagem, não deixe de comentar aqui no post!

Comentários
Adicione um comentário

FECHAR MENU